13 de Maio de 2021
Central de Relacionamento

Saúde mental piorou para 53% dos brasileiros na pandemia, aponta pesquisa

A porcentagem só é maior em quatro países: Itália (54%), Hungria (56%), Chile (56%) e Turquia (61%)

 Publicado em  16/04/2021 às 11h40  Brasil  Saúde, beleza e bem estar


Especialistas alertam a importância de dar atenção à saúde mental além da saúde física

Especialistas alertam a importância de dar atenção à saúde mental além da saúde física
Foto: Divulgação

Denise Katahira
redacao@maisexpressao.com.br

A pandemia da Covid-19 já dura vários meses, e durante esse período, a liberdade de ir e vir e o convívio social foram limitados. Com isso, a solidão causada por essas restrições acendeu um alerta: a saúde mental na pandemia.

Segundo pesquisa do instituto Ipsos, encomendada pelo Fórum Econômico Mundial e cedida à BBC News Brasil, 53% dos brasileiros declararam que seu bem-estar mental piorou um pouco ou muito no último ano. Essa porcentagem só é maior em quatro países: Itália (54%), Hungria (56%), Chile (56%) e Turquia (61%).

Dados divulgados pela Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) 2019 do IBGE, afirma o aumento. Segundo o resultado, houve um crescimento expressivo em 34,2% do número de casos de depressão em um período de seis anos (2013-2019). A pesquisa indica que, atualmente, 16,3 milhões de brasileiros sofrem da doença, representando 10,2% da população com mais de 18 anos.

Outro dado alarmante é que o Brasil foi apontado pela Organização Mundial da Saúde, em 2019, como o país mais deprimido da América Latina, com 5,8% das pessoas diagnosticadas com a doença (cerca de 12 milhões). A ansiedade é outro transtorno que afeta 9,3% dos brasileiros, em torno de 19,4 milhões, fazendo com que o Brasil ocupe o primeiro lugar no ranking da lista de países com pessoas mais ansiosas no mundo.

Ainda se não bastasse a pandemia, o convívio prolongado dentro de casa aumentou o risco de desajustes na dinâmica familiar. Somam-se a isso as reduções de renda e o desemprego, que pioram ainda mais a tensão sobre as famílias. E, ainda, as mortes de entes queridos em um curto espaço de tempo, juntamente à dificuldade para realizar os rituais de despedida, dificultando a experiência de luto e impedindo a adequada ressignificação das perdas, aumentando o estresse.

Sinais

Profissionais alertam a importância de dar atenção à saúde mental além da saúde física, pois mente e corpo são partes integrantes entre si e as necessidades desses cuidados estão interligados.

Para auxiliar na identificação, é importante observar os sintomas que são: taquicardia, dores de cabeça, problemas digestivos, sensação de falta de ar, redução da concentração e perda de memória, tremores nas mãos e extremidades, sensação de aperto no peito e angústia, crises de choro permanentes, isolamento, desânimo, entre outros.

Portanto, uma pessoa com a saúde mental afetada vai emitir sinais de que precisa de ajuda. Quem está por perto pode observar e ajudar com o encaminhamento, mas apenas um profissional – como o psiquiatra – está capacitado para diagnosticar e tratar as questões.

 

Crianças e adolescentes também foram afetados

A saúde mental de crianças e adolescentes também foram afetadas na pandemia. É o que afirma o professor de Psiquiatria da Infância e Adolescência da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FM-USP), Guilherme Polanczyk.

“A pandemia, e todo o contexto que a acompanha, têm gerado situação de estresse em crianças, adolescentes e adultos. Como as crianças e adolescentes são menos infectados e como, muitas vezes, o sofrimento deles fica mais desapercebido, eles tendem a ser mais negligenciados”, disse o especialista.

Segundo o médico, sintomas como irritabilidade, mudanças de humor, insônia, dificuldade de concentração podem ser fáceis de se identificar em adultos, mas apresentam diversas nuances quando se trata de crianças e adolescentes.

Polanczyk analisa que a idade da criança também interfere na forma como ela reage à pandemia. As crianças menores, por serem mais dependentes dos pais, vão lidar com a pandemia muito em função de como os pais estão lidando e como o ambiente está organizado.

“As crianças maiores sentem falta dos amigos. Elas já têm capacidade maior de compreensão de uma forma autônoma, muitas vezes não completamente adequada, ou de uma forma não completamente realista, e podem interpretar de forma mais catastrófica algumas situações”.

Galeria de mídia

  • Especialistas alertam a importância de dar atenção à saúde mental além da saúde física

    Especialistas alertam a importância de dar atenção à saúde mental além da saúde física
    Foto: Divulgação



Comentários

*Leia o regulamento antes de comentar

Frutos de Indaiá

O Troféu Frutos de Indaiá tem o significado de sucesso e vitória. Uma premiação pelo esforço contínuo e coletivo em direção à excelência.

13 MAR 2021, Clube 9 - Indaiatuba

COMPARTILHE