12 de Ago de 2022
Central de Relacionamento

Preconceito e falta de confiança impedem que pessoas com deficiência atuem no mercado

Centro de capacitação ECOSS realiza workshop gratuito para pessoas com deficiência

 Publicado em  11/08/2014 às 07h00  Sorocaba  Variedades


Segundo o artigo 93 da Lei nº 8.213/91, que trata do sistema de cotas para deficientes, as empresas que possuem 100 ou mais funcionários devem preencher de 2% a 5% dos cargos com colaboradores reabilitados ou pessoas com deficiência.

Porém, seja pela obrigatoriedade da lei ou pela responsabilidade social, as empresas enfrentam grande dificuldade em encontrar pessoas qualificadas e dispostas a cumprir essa demanda. Por outro lado, Organizações Não Governamentais (ONGs) também se deparam com o mesmo problema para a inserção desses profissionais no mercado de trabalho, segundo evidencia pesquisa mercadológica feita pelo centro de capacitação ECOSS, de Sorocaba (SP), como parte de seu projeto de responsabilidade social “Diferença Zero”.

Ainda de acordo com estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 27,6% da população sorocabana possuem algum tipo de deficiência, o que equivale a 126.898 pessoas. Contudo, apenas uma parcela está empregada.

Para a diretora da ECOSS, Professora Dra. Noemia Galduróz Cossermelli, não faltam pessoas com deficiência disponíveis para o mercado de trabalho. O entrave ainda está na insegurança destes profissionais em desempenhar um papel produtivo. “A conscientização, realmente, é um trabalho que deve ser realizado com esses profissionais. Mas, o que ainda interfere, de maneira negativa, nesse processo é a falta de confiança deles em desempenhar esses cargos, além do preconceito das próprias famílias”, explica.

Também na opinião da advogada Branca Gurgel, de 33 anos, que é deficiente visual, a falta de qualificação profissional das pessoas com deficiência é apenas uma desculpa. Em sua avaliação, o preconceito e a falta de valorização das potencialidades desses profissionais são empecilhos para o desenvolvimento de suas carreiras. “Cheguei a desistir de um emprego, porque percebi que eu tinha sido contratada, única e exclusivamente, para cumprir cota. Não me deram chance alguma de mostrar qualquer tipo de habilidade. Além disto, qualquer tentativa minha de desenvolver algo diferente, era vetada”, relata.

A realidade da mineira Branca, que continua buscando uma oportunidade no mercado de trabalho, é igual à de muitos. Atualmente, mesmo formada em Direito, com cursos complementares de idiomas e de informática, continua sem emprego formal. Mas, para ela, a esperança nunca morre e, assim, segue estudando com afinco. “Hoje, curso assistente de almoxarifado, com a esperança de ser contratada futuramente”, fala.

Pensando em reacender essa vontade de produzir dos profissionais com deficiência, seja auditiva, física, mental, motora, visual ou múltipla, além do desejo de conseguir um emprego formal, a ECOSS promove workshop gratuito destinado a pessoas com deficiência, sobre o tema “Direitos, autoconhecimento e carreira de pessoas com deficiência”, no próximo dia 22 de agosto, a partir das 14 horas.

O “Workshop ECOSS - Inclusão” orientará os participantes a respeito dos direitos dos colaboradores especiais, além de incentivar o autoconhecimento e promover o redirecionamento da carreira profissional. A discussão será conduzida por Dra. Noemia, com 17 anos de experiência na área de educação e formação em Direito. Ainda contará com as participações especiais da Professora Mestre Carla Pineda Lechugo, especialista em Gestão de Negócios, com 15 anos de atuação na área acadêmica e em treinamentos corporativos e da coach Cassia Cordaro.

Para Dra. Noemia, a qualificação de pessoas com deficiência para o mercado de trabalho é fundamental. “É preciso um trabalho de base e contínuo, para preparar esses profissionais e para que a demanda do mercado seja atendida”, afirma.

Dados da Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Estado de São Paulo mostram que as 306 mil carteiras de trabalho assinadas de pessoas com deficiência representam apenas 0,7% do total de empregos formais no país, sendo que, pelo menos, 46 milhões de brasileiros têm algum tipo de deficiência. O workshop da ECOSS também criará oportunidades para uma reflexão sobre as exigências da lei que, apesar de estarem pautadas em ações afirmativas, não promovem a eficácia desejada.

As inscrições para o “Workshop ECOSS – Inclusão” são gratuitas e podem ser realizadas pelo e-mail: contato@ecoss.com.br. As vagas são limitadas e a presença de um familiar, acompanhando a pessoa com deficiência, é fundamental. “Convidamos um familiar de cada participante a também estar presente em nosso workshop, a fim de conscientizar, principalmente, as famílias da importância da inserção da pessoa com deficiência no mercado de trabalho, para seu desenvolvimento social e pessoal”, enfatiza Dra. Noemia.

O encontro acontece no centro de capacitação da ECOSS, localizado na Rua Doutor Arthur Martins, 63, 4º andar, sala 42, no Edifício Antares, na região central de Sorocaba. Mais informações podem ser obtidas pelo site: www.ecoss.com.br e pelo telefone: (15) 3031-3073.

Galeria de mídia



Comentários

*Leia o regulamento antes de comentar

Frutos de Indaiá

O Troféu Frutos de Indaiá tem o significado de sucesso e vitória. Uma premiação pelo esforço contínuo e coletivo em direção à excelência.

Confira como foi o Frutos de Indaiá 2021.

COMPARTILHE