28 de Maio de 2022
Central de Relacionamento

Elias Fausto inaugura primeira sala Maker do brasil no setor público

Serão atendidos cerca de 2.200 alunos do Ensino Fundamental I e II 

 Publicado em  27/08/2021 às 11h51  atualizado em 27/08/2021 às 11h55 - Elias Fausto  Educação


Cada Sala Maker Espiral terá bancadas para trabalho em equipe e instrumentos para a prática de robótica

Cada Sala Maker Espiral terá bancadas para trabalho em equipe e instrumentos para a prática de robótica
Foto: Amado Maker

Da redação
redacao@maisexpressao.com.br

A Prefeitura de Elias Fausto por meio da Secretaria de Educação inaugurou no último dia 21 a primeira Sala Maker Espiral do munícipio. Além disso, a cidade é pioneira em utilizar impressora 3D e robótica no ensino público com o método Espiral.

A Sala Maker Espiral “Profº Mario Augusto Baltus” foi instalada na antiga Creche de Cardeal, localizada na rua Calixto Mora, 7, Bairro Cardeal.

De acordo com a Administração Municipal, neste primeiro momento, os alunos terão acesso às salas como forma de visita. A utilização dos espaços deve ocorrer somente no começo do ano letivo de 2022.

O novo método de ensino visa promover o aprendizado por meio da tecnologia e criatividade, com uso de equipamentos de fabricação digital como a impressora 3D, corte a laser e plotter de recorte. Com isso, será facilitado a aplicação de metodologias ativas que direcionam o aprendizado para a resolução de problemas e o desenvolvimento de projetos.  Além de promover pensamento crítico, desenvolver habilidades e aptidões em um ambiente inovador que permite experiências inatingíveis no mundo teórico.

O prefeito de Elias Fausto, Maurício Baroni, ressalta a importância do investimento em Educação.
“Investir em educação é construir um futuro melhor para jovens e adolescentes. É compreender que tudo no mundo está dinâmico e o processo de ensino também. Temos que nos adequar sempre às novas tecnologias e, o mais importante, dar a oportunidade de um ensino diferenciado para os nossos alunos”, afirma Baroni.

O Executivo declarou que o valor investido para o projeto Sala Maker Espiral na cidade é de R$ 847.104 por ano, o que vale a R$ 32 por aluno por mês.

Ensino

Cada Sala Maker Espiral terá bancadas para trabalho em equipe, armários e aparelhos para a prototipagem em impressão 3D, corte a laser, plotter de recorte e instrumentos para a prática de robótica.

Ao todo, cinco salas de aula receberam os equipamentos para essa nova metodologia. Elas estarão disponíveis nas escolas Professor João Guedes Pinto Júnior, Gerardo Mário Tornatore, Professor Lupércio Guedes Pinto – Titico, Professora Maria Cândida Alves Pinto e no Espaço Maker Espiral Modelo Professor Mário Augusto Baltus, com sede no Distrito de Cardeal.

Segundo a Secretaria de Educação, os alunos e educadores receberão material didático do ano completo. Além disso, os professores receberão treinamento para o uso dos maquinários, e um login na plataforma colaborativa, onde terão acesso a planos de aula, com espaço de "help desk" para tirar dúvidas, e alguns vídeos das atividades. Ao todo, 30 professores, coordenadores e gestores estão participando de 88 horas de formação entre teoria e prática dessa nova metodologia.

De acordo com a prefeitura, a intenção é proporcionar integração de conceitos de diversas áreas, como linguagem, matemática, física, eletricidade, eletrônica, mecânica, arquitetura, ciências, história, geografia, artes, todas dentro das diretrizes da Base Nacional Comum Curricular, e dos quatro pilares fundamentais de aprendizagem da Unesco e dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU.

O que é Cultura Maker?

Para ser um inventor uma iniciativa misturada com persistência basta. Essa é a ideia da cultura maker. Levar para dentro das escolas recursos tecnológicos dentro de Laboratórios de Fabricação Digital, conhecidos também como Fab Labs ou Espaços Makers os quais viabilizam a produção de projetos experimentais e levantam a bandeira do conceito “Faça Você Mesmo”.

Escolas do mundo inteiro estão incorporando ao currículo os princípios e práticas da cultura maker, trabalhando os conteúdos do currículo básico de forma mais criativa, com foco na aplicabilidade da teoria em projetos concretos e assim integrando as disciplinas para um aprendizado contextualizado.

Nesta conjuntura entra em cena os Fab Labs onde ficam à disposição dos alunos uma série de maquinários como: impressoras 3D, cortadora a laser, cortadora de vinil, CNC de precisão de pequeno porte e CNC de grande porte. Em um modelo resumido, com menos maquinários são as Salas Makers. Tudo isso para o estudante ter a liberdade criativa e transformar-se em um inventor, tirando do papel suas ideias e também trabalhando o empreendedorismo.

De acordo com CEO da Amado Maker, Marcelo Amado, empresa responsável pela implantação da Sala Maker Espiral, ser maker não é uma atividade, é um novo estilo de vida, uma nova forma de pensar em consumo e sustentabilidade. É viver dentro de um contexto produtivo.
“Nós queremos levar esse conceito para as escolas do Brasil e engajar projetos que possam contribuir para uma sociedade melhor e desenvolver pessoas produtivas que podem colaborar com a comunidade no qual é inserida. Isso é ser maker e um Fab Lab ou Sala Maker à disposição disso tudo é apenas um empurrão para um grande progresso educacional”, finaliza Amado.

 

Galeria de mídia

  • Cada Sala Maker Espiral terá bancadas para trabalho em equipe e instrumentos para a prática de robótica

    Cada Sala Maker Espiral terá bancadas para trabalho em equipe e instrumentos para a prática de robótica
    Foto: Amado Maker



Comentários

*Leia o regulamento antes de comentar

Frutos de Indaiá

O Troféu Frutos de Indaiá tem o significado de sucesso e vitória. Uma premiação pelo esforço contínuo e coletivo em direção à excelência.

Confira como foi o Frutos de Indaiá 2021.

COMPARTILHE