07 de Abril de 2020
Central de Relacionamento

Sedentarismo: o grande mal do século

Fator é o quarto de maior risco de mortes no mundo, segundo OMS

 Publicado em  13/03/2020 às 14h53  Indaiatuba  Esportes


A Academia 40+ tem método próprio e número limitado de alunos

A Academia 40+ tem método próprio e número limitado de alunos
Foto: DIVULGAÇÃO

Da Redação

redacao@maisexpressao.com.br

O sedentarismo é definido como a falta ou grande diminuição da atividade física e é considerado o grande mal do século. De acordo com o Ministério da Saúde três em cada 100 mortes registradas no país podem ter sido influenciadas pelo sedentarismo sendo o quarto maior fator de risco de mortes no mundo. O sedentarismo atinge quase metade da população brasileira – 45,9% – e está por trás de 13,2% das mortes no país.

Ainda segundo o Ministério da Saúde, o indivíduo precisa gastar no mínimo 2.200 calorias por semana com exercícios físicos, ou caso contrário, a falta de atividade física pode comprometer literalmente os sistemas funcionais e provocar um processo de regressão funcional, perda de flexibilidade articular além de comprometer o funcionamento de vários órgãos posteriormente distinguindo-se um fenômeno associado à hipotrofia de fibras musculares, além de ser a principal causa do aumento da ocorrência de várias doenças como a hipertensão arterial, diabetes, obesidade, aumento do colesterol e infarto do miocárdio. A vida sedentária, segundo especialistas, pode ser também a causa direta ou indireta de morte súbita.

Consequências

Os parâmetros atuais das organizações de saúde e governamentais recomendam 150 minutos de exercícios moderados por semana para manter a saúde e o condicionamento físico. E a falta de atividades físicas podem gerar consequências como obesidade, aumento do colesterol, atrofia muscular, aumento da pressão arterial, problemas articulares, problemas cardiovasculares (infarto ou AVC), diabetes tipo 2 e distúrbios do sono.

E a lista não para por aqui. O sedentarismo também acelera o envelhecimento como um todo. De acordo com os resultados de uma pesquisa da Universidade da Califórnia em San Diego, nos Estados Unidos, as voluntárias que costumavam se exercitar menos de 40 minutos por dia e passavam mais de dez horas sentadas apresentavam uma idade celular até oito anos superior à cronológica. "Isso mostra que a discussão sobre a prática de exercícios físicos precisa começar na juventude e que o esporte deveria fazer parte da nossa rotina até o fim da vida", disse a sócia proprietária da Academia 40+, Lina Amstalden Maruyama. “É curioso como, sem fazer nenhum tipo de atividade física, o sedentarismo por si só leva o corpo ao limite e o esgota”, completa.

“Normalmente não somos conscientes de que temos um problema de saúde até que sofremos as consequências. Por isso é tão importante educar-se na adoção de hábitos saudáveis, além do cuidado na escolha da prática de atividade física. Acompanhada sempre por bons profissionais, a torna segura e eficaz”, orienta Lina.

Academia 40+

A rede de Academia 40+ está presente em várias cidades do país. Possui acompanhamento personalizado nas modalidades de musculação, pilates e treinamento aeróbico e atende tanto o público masculino e feminino de todas as idades. A academia possui um método próprio com número limitado de alunos, sem perda de tempo, e dispõe de um ambiente agradável, sem espelhos e músicas altas.

Se você quer envelhecer com dignidade e qualidade de vida a 40+ é sua melhor escolha. Acompanhamento profissional com garantia de resultados seguros e eficazes.

Em Indaiatuba, a Academia 40+ está localizada na Avenida Conceição, 2536. Para mais informações telefone e whatsapp (19) 3392-4819.

Galeria de mídia

  • A Academia 40+ tem método próprio e número limitado de alunos

    A Academia 40+ tem método próprio e número limitado de alunos
    Foto: DIVULGAÇÃO



Comentários

*Leia o regulamento antes de comentar
Frutos de Indaiá

Conheça o maior evento de premiação de Indaiatuba.

Frutos de Indaiá