19 de Julho de 2019
Central de Relacionamento

Redução de juros deve manter setor imobiliário

Setor vem de recuperação, com crescimento de 131%

 Publicado em  06/06/2019 às 09h39  Brasil  Economia


As medidas anunciadas nesta quarta-feira (5) pela Caixa Econômica Federal (CEF) para redução dos juros do crédito imobiliário e igualou as taxas do Sistema Financeiro da Habitação (SFH) e do Sistema Financeiro Imobiliário (SFI) para as operações contratadas a partir da próxima segunda-feira, devem impulsionar o mercado imobiliário na região de Campinas. Além de incentivar as vendas de imóveis, a decisão afeta empresas de materiais de construção e o mercado de trabalho nos próximos meses.

A taxa mais alta cobrada pelo banco cai de 11% ao ano mais a Taxa Referencial (TR, atualmente em zero) para 9,75% ao ano mais a TR. A taxa mais baixa, paga pelos correntistas ou quem tem algum tipo de relacionamento com a Caixa, passa de 8,75% ao ano mais TR para 8,5% ao ano mais TR. A Caixa concentra cerca de 70% do crédito imobiliário no país.

A Caixa também unificou as taxas do SFH e do SFI. O SFH é voltado para os financiamentos de imóveis de menor valor e tem parte das unidades financiadas com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). O SFI é destinado a imóveis com valor acima de R$ 1,5 milhão sem cobertura do FGTS. Por abranger unidades mais caras, tradicionalmente o SFI cobrava juros mais altos que o SFH.

Para o presidente da Associação Regional da Construção de Campinas e Região (Habicamp), Francisco de Oliveira Lima Filho, as medidas da CEF chegam em boa hora. "O mercado, como um todo, vive um momento de espera pela reforma da Previdência e isso tem provocado retração da atividade econômica e da expectativa de queda do Produto Interno Bruto (PIB). Medidas de estímulos como estas da Caixa são importantes e necessárias para aquecer o mercado imobiliário, que responde por mais de 9% do PIB e é o segundo maior gerador de empregos no Brasil", lembra ele.

No caso específico da Região de Campinas, Oliveira Lima afirma que o setor vem se recuperando desde o segundo semestre do ano passado, com a retomada de lançamentos e geração de empregos. De janeiro a abril deste ano, o número de pedidos para aprovação de projetos imobiliários cresceu 131% na Região Metropolitana de Campinas (RMC), segundo levantamento do Grupo de Análise e Aprovação de Projetos Habitacionais do Estado de São Paulo (Graprohab), apresentado na semana passada durante no Smartus Fórum Imobiliário, realizado em Campinas pela GRI Company

No mesmo período, o setor acumula geração de 1.373 novas vagas de emprego na RMC, sendo o maior responsável pelo saldo positivo de empregos na região neste ano.

  A redução anunciada pela Caixa, segundo Oliveira Lima, abre a possibilidade para que outras instituições financeiras, que atuam com as classes A e B, também venham a reduzir suas taxas de juros para financiamento imobiliário nos próximos meses.

Galeria de mídia

Não há fotos e vídeos disponíveis.



Comentários

*Leia o regulamento antes de comentar
Frutos de Indaiá

Conheça o maior evento de premiação de Indaiatuba.

Frutos de Indaiá