24 de Setembro de 2020
Central de Relacionamento

Obras são entregues à cidade com 4 meses de antecedência

Projeto iniciado em via de Itaici está previsto para finalizar em novembro

 Publicado em  08/08/2020 às 09h00  Indaiatuba  Cidades


Foto: ELIANDRO FIGUEIRA (RIC/PMI)

Da Redação

As obras de revitalização da Alameda Coronel Estanislau do Amaral, em Itaici, foram entregues pela H²Obras no final de julho, quatro meses antes do previsto. A requalificação da via teve início há pouco mais de um ano (maio de 2019), com o objetivo de melhorar a fluidez do trânsito no local e oferecer segurança aos usuários. O investimento foi de R$ 8.442.113, com recursos do próprio município, e a previsão de término seria para novembro deste ano.

Os trabalhos começaram pela construção da ponte, o que inicialmente foi feito nas instalações da H²Obras, e pela preparação do solo nos pontos que receberão o novo sistema de drenagem.

A revitalização compreende o total de 2,1 quilômetros, e inclui quatro faixas de rolamento em toda a sua extensão, além de 27 mil m² de asfalto novo e de recapeamento; 4 mil metros lineares de calçadas e mais um quilômetro de novas galerias de águas pluviais.

O lado direito da via, no sentido Centro-bairro, abrange a construção de uma nova ponte de concreto sobre o rio Jundiaí. A ponte conta com duas faixas de rolamento, e a ponte metálica que havia no local foi transferida para o Parque Ecológico, interligando o Jardim Colonial ao Jardim São Francisco.

Ainda estão inclusos no projeto a construção de um canteiro, 68 pontos de iluminação de LED, recapeamento, guias e vagas de estacionamento. Toda a parte elétrica também será revitalizada, com a realocação dos postes da rede primária de energia, eliminando a poluição visual acarretada pelo excesso de fiação.

“Basicamente, o projeto surgiu em função da necessidade de ordenar o trânsito e dar sequência à duplicação que já havia sido feita de Itaici até o Vale das Laranjeiras”, explicou o arquiteto da Secretaria de Obras e Vias Públicas de Indaiatuba, Eduardo Constantino Gomes. “É claro que o projeto gerou um impacto inicial na própria desapropriação dos imóveis, que teve um custo alto e um impacto social bastante grande”, completou.

Eduardo lembra ainda que a duplicação também irá regular os acessos à via, especialmente em relação aos condomínios, o que causa impactos nos horários de pico do trânsito local.

Ampliações futuras

O subsolo da via em Itaici também vem sofrendo intervenção, com a implantação da rede de drenagem, antes inexistente. “Era comum passar no local e encontrar a via cheia de água superficialmente, porque não tinha drenagem. Com a duplicação, houve aumento considerável da área, o que obrigatoriamente, demanda a drenagem”, explicou Eduardo.

Inclusive, a ponte de travessia sobre o rio Jundiaí é um dos destaques da obra. “Trata-se da peça fundamental das obras. Só a ponte foi orçada em R$ 5 milhões, investimento pesado para qualquer município, ainda mais com recursos próprios”, reiterou.

“Essa regulação da duplicação vai direcionar aquela região para uma futura e consequente ampliação e urbanização. O potencial de crescimento é enorme e algumas leis municipais estão proibindo a ampliação de novos loteamentos por conta da falta de acesso. Não existe capacidade viária. Isso se chama desenvolvimento sustentável”, comentou o arquiteto. Ele complementou dizendo que a requalificação da Alameda é apenas o começo. “Este é o primeiro passo para a modernização e regulação da área.”

Galeria de mídia


  • Foto: ELIANDRO FIGUEIRA (RIC/PMI)



Comentários

*Leia o regulamento antes de comentar
Frutos de Indaiá

Conheça o maior evento de premiação de Indaiatuba.

Frutos de Indaiá

Compartilhe