18 de Novembro de 2019
Central de Relacionamento

Estado de SP promove eventos sobre cadeias de produção

Profissionais da Secretaria de Agricultura participam de atividades

 Publicado em  02/10/2019 às 15h14  Estado SP  Cidades


Entre os dias 28 de agosto e 30 de setembro, a Secretaria de Agricultura e Abastecimento (SAA) do Estado realizou atividades do Workshop Planeja PD&I – Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação nas Cadeias de Produção do Agronegócio.

O evento contou com a participação dos seis Institutos e Polos de Pesquisas da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA) e das coordenadorias de Defesa Agropecuária (CDA) e de Desenvolvimento Rural Sustentável (CDRS).

A iniciativa teve o objetivo de elaborar um diagnóstico e um prognóstico em cada uma das 18 cadeias de produção animal e vegetal do agronegócio do Estado e brasileiro em que atuam os pesquisadores e técnicos da SAA.

O trabalho teve início em junho, com a coleta de informações para entendimento desses cenários, além da segunda parte, composta pelos workshops para traçar as ações. O Instituto de Zootecnia (IZ/APTA) reuniu cerca de 110 profissionais nos dias 17 e 18 de setembro para os workshops das cadeias da carne e do leite.

Futuro

Os especialistas apuraram os indicadores de pesquisa, como dados sobre produtividade técnico-científica, atividades de transferência de ciência e tecnologia, inserção do produto e serviços na cadeia de produção, custos de realização das atividades, número de recursos humanos de apoio e infraestruturas disponíveis.

De acordo com o coordenador da APTA, Antonio Batista Filho, a realização de workshops é importante para levantar um diagnóstico das pesquisas conduzidas em cada uma das cadeias de produção pelos institutos de pesquisa da agência. “A ideia é traçar, de forma consistente, os rumos dos trabalhos científicos, atendendo as demandas do setor e vislumbrando aquilo que será necessidade no futuro”, destacou.

Luiz Marques da Silva Ayroza, diretor-geral do IZ, ressaltou que a presença dos atores da cadeia produtiva foi fundamental para um retrato das demandas, gargalos e oportunidades no desenvolvimento de projetos de pesquisa aplicada. “O encontro apontou o que está sendo feito, como melhorar e como deverão ser direcionadas as pesquisas dos institutos da APTA”, salientou.

As informações analisadas nas ações comporão um relatório final com apontamentos sobre atuais produções, direcionamentos de oportunidades, prioridades e ações necessárias para desenvolvimento e transferência de tecnologia ao produtor e, consequentemente, atendendo às exigências do consumidor final dos produtos agropecuários.

Segundo Flávio Dutra, pesquisador do Polo Regional da Apta – Colina, que traçou um panorama sobre a cadeia produtiva da carne, o setor interage com vários sistemas, com destaque para a amplitude: insumos, produtores, pesquisa, frigoríficos e mercado interno. “Mas é o consumidor que determina as regras, independentemente do tipo de carne. Em geral, trabalhamos até o frigorífico”, disse.

Lilian Cristina Anefalos, pesquisadora do Instituto Agronômico (IAC), também do grupo gestor do Planeja, enfatizou a importância da iniciativa. “O grande ganho desse workshop foi a possibilidade de os institutos discutirem a cadeia da carne juntamente com o setor produtivo”, afirmou.

Leite

O Workshop da Cadeia do Leite, coordenado pelo diretor do Centro de Pesquisa de Bovinos de Leite do IZ, Luiz Carlos Roma Junior, ocorreu em 17 de setembro e possibilitou o direcionamento de fatores importantes para o progresso do setor, diante das sugestões de participantes, aliado aos pareceres dos pesquisadores dos institutos e as coordenadorias de Defesa Agropecuária (CDA) e de Desenvolvimento Rural Sustentável (CDRS).

“O workshop permitiu aproximar os institutos da APTA, coordenadorias da secretaria e o setor produtivo para o progresso da cadeia agroindustrial do leite nos âmbitos de pesquisa, desenvolvimento e inovação, com foco no leite do Estado”, disse Luiz Carlos Roma Junior.

A gestão do Planeja PD&I, coordenado por Ricardo Baldassin Junior, assistente-técnico de direção no IAC, estabeleceu junto aos participantes as discussões de oportunidades, desafios e ações para o desenvolvimento das cadeias produtivas.

O trabalho está dividido em dois momentos para o melhor alinhamento e direcionamento das pesquisas ao desenvolvimento das cadeias, identificando casos de sucesso e os gargalos enfrentados nas cadeias que precisam de aprimoramento.

De acordo com Ricardo Baldassin Junior, os profissionais estão conseguindo fazer algo novo no contexto de pesquisa científica dos institutos, com uma discussão que promova a integração dos esforços de pesquisa. “Primeiro, entender a qualidade e produção das pesquisas e, a partir disso, criar metas e direcionamentos para que sejam integradas, criando um plano de ação mais eficiente e produtivo”, disse.

Galeria de mídia

Não há fotos e vídeos disponíveis.



Comentários

*Leia o regulamento antes de comentar
Frutos de Indaiá

Conheça o maior evento de premiação de Indaiatuba.

Frutos de Indaiá